terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Envelhecer = ....................


Vivemos em uma época muito singular. 
Envelhecer não é mais sinônimo de sabedoria, não é mais uma etapa digna de admiração e respeito.
Todos querem ser jovens. De repente, pessoas de 50, 60 anos são consideradas jovens. Não me refiro à juventude relacionada ao espírito e à mente, mas àquela relacionada ao corpo.
Até poucas décadas atrás, pessoas de 40 anos eram consideradas velhas. Agora, pessoas nessa idade ainda são "jovens". 
Ao mesmo tempo em que a infância diminuiu, a adolescência tem se prolongado e a juventude, nem se fala!

Hoje, envelhecer é como um tipo de punição velada. A maioria acredita que vai "chegar lá", mas no fundo, ninguém quer.
Se você perguntar para qualquer pessoa quantos anos ela gostaria realmente de viver, a maioria das respostas será algo como "o máximo possível" ou "muito tempo", mas paradoxalmente, ninguém quer envelhecer. Por isso tantos tratamentos para retardar de forma muito superficial e insatisfatória o irremediável.
Hoje o que importa é ser jovem. Talvez porque, mesmo que inconscientemente, todos associem juventude à vida e velhice à morte.
O que, de fato, não deixa de ser verdade.

Equilíbrio
 
Gostei muito do texto abaixo, do qual selecionei alguns trechos. Se quiser lê-lo na íntegra, o endereço está no final.
 
O menino pega, com gestos incertos, a colher pequena. Tenta pescar o feijão no prato. Ajuda com o indicador da mão esquerda, arrastando alguns grãos teimosos para dentro da colher. A mãe observa orgulhosa:
— Olha que beleza, ele já come sozinho!
Nada impede que, vez por outra, o feijão escorregue da colher e suje a roupa limpinha. A mãe vai ralhar? Depende do humor do momento. Mas ter o poder de manobrar a próxima colherada não tem preço! Nisso mãe e filho estão de acordo.
Assim começam as conquistas.
Mas parece que em algum momento deixamos de gostar de ter a colher nas mãos. Ou melhor: desejamos dispor dos talheres, todos eles, mas não queremos nos responsabilizar pelo feijão derramado.
(...)
Não há dúvida de que muitos gostariam de fugir das responsabilidades das mais diversas maneiras.
Vivemos numa sociedade em que o amadurecimento pode ser confundido com envelhecimento, o que deixou de ser algo natural e passou a ser encarado como punição. Nesta mesma sociedade, a juventude é supervalorizada e a adolescência é elástica, prolongando-se tanto quanto possível. Desse jeito, quem quer ser maduro e, consequentemente, responsável?
(...)
Assumir responsabilidades significa tanto aceitar o sucesso, como também o fracasso. Contudo, aqueles que assumem seus méritos e insucessos assumem também as rédeas de sua própria trajetória. E isso traz poder e bem-estar porque nessa ideia está incluído o senso de justiça: todos estamos sujeitos à mesma equação.
Nada melhor do que ter a colher nas mãos! E se o feijão escorregar, vamos cuidar da limpeza e, com isso, aprenderemos a manobrar melhor a colher. 


Fonte: http://www.graal.org.br/arquivos/vagalume_37.pdf - Páginas 2 e 3
Créditos da imagem: Stuart Miles - Free Digital Photos 





3 comentários:

  1. Muito bacana sua reflexão, Rosana! Acho que, infelizmente, as pessoas esqueceram de que todas as fases da nossa vida, são sim, bonitas. Que as rugas no canto dos olhos ou da boca, são um sinal de que sorrimos muito! E que toda idade tem sua beleza. Vejo tantas mulheres fazendo plástica querendo parecer mais jovens e ficando caricatas... o efeito é justamente o contrário!

    Quero saber envelhecer e saber que cada fase da minha vida foi bonita à sua maneira!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto, Rosana!

    Concordo com a Bruna, as pessoas querem viver ao máximo, mas não querem viver cada etapa da vida, como deve ser vivida. É um paradoxo.

    O importante é estar bem consigo(a) mesmo(a), e isso requer aceitar o início de cada ciclo de vida, e não tentar viver artificialmente outra fase da vida que já passou.

    Abç!

    ResponderExcluir
  3. Bruna,
    Cada fase da vida é singular, com sua beleza e limitações. Como você disse, hoje muitas mulheres fazem plásticas e ficam horríveis, fica muito artificial. Parece até que ter rugas é algo reprovável.
    Eu também quero ter sabedoria para ver beleza em cada fase da vida.

    Guilherme,
    Agradeço pelo seu elogio!
    As fases da vida tem se tornado elásticas de forma tão doentia. Estar bem consigo mesmo, aceitar o início e término de cada fase é fundamental para o equilíbrio pessoal de forma abrangente.

    Agradeço pelos comentários de vocês!
    Abraços,

    ResponderExcluir