terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Felicidade existe?


Felicidade existe?
Ou existem apenas momentos de alegria? 
Ou seriam melhor descritos como momentos de contentamento?

É possível alcançar a felicidade genuína em um mundo tão conturbado?


Emoticons-felicidade-e-tristeza-em-um-pendulo

Com uns 4 ou 5 anos, eu já me questionava sobre o tema. Eram dúvidas que eu guardava comigo, pois os adultos pareciam tão interessados no mundo material, na vida corrida e agitada... Ou então segundo o meu entendimento nessa idade, não tinham maturidade suficiente para conversar sobre o assunto. Ou não me entenderiam. “Às vezes os adultos são tão infantis! ” – era o que eu pensava sobre alguns deles com certa frequência.

O tempo passou e décadas depois eu ainda não havia encontrado uma resposta que me deixasse apenas um pouco satisfeita. Até encontrar esse vídeo em meados de 2017. Nele, o pregador Tiago Rodrigues aborda o tema de uma maneira bem peculiar e até incômoda, muito diferente da qual estamos acostumados fomos doutrinados a ouvir.



E para você, felicidade existe?

Deixe seu comentário abaixo.


Créditos das imagens: Stuart Miles Free Digital Photos

9 comentários:

  1. "Nada é mais escravizante do que a necessidade de ser feliz"
    Muito boa a palestra. Obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uó,

      Bom saber que gostou do vídeo.
      Até quando viveremos em uma sociedade que praticamente nos cobra a felicidade a todo custo? - fica a pergunta.

      Abraços,

      Excluir
    2. Não vi a palestra, mas creio que essa necessidade de ser feliz tem a ver com publicidade.

      Pra ser feliz, de acordo com a publicidade, você precisa fazer viagens caras, ter carros caros, roupas caras, ir a lugares carros, comprar eletrônicos caros... e assim você gira a roda do consumo e fazer muita gente rica enquanto fica mais pobre.

      Longe de mim fazer um discurso anticapitalista, mas gastar de forma consciente, creio eu, é condição sine qua non (*toca a música da Marilia Gabriela) para não ficar escravo do consumismo.

      Excluir
  2. Olá Rosana! Excelente discussão!

    Vou concordar com o tema principal da palestra e o comentário do Uó: o que deixa vc menos feliz é a necessidade de estar feliz. Em geral para os outros e não para vc mesmo...

    Se aproximarmos o conceito de felicidade com um prazer contínuo, alguns antigos gregos diziam que a felicidade está ligada à noção de tranquilidade. Quem pode ser tranquilo escravizando-se como o Uó comentou?

    Veja um texto que escrevi em um artigo e que retomei aqui:

    "Ter prazer significaria estar em harmonia com sua vida. Ter menos preocupações. Viver de forma que não sejamos escravos de alguma obrigação. Pois para os antigos gregos, desejos e paixões terminam por levar à escravidão.

    Ser escravos do desejo, mesmo que de forma inconsciente, acabaria por fim sendo um desapego ao prazer. Perceba que o mundo de hoje nos leva a pensar de forma oposta: ter prazer é satisfazer nossos desejos. Muitas vezes, o prazer reivindicado vem mascarado com o conceito de sucesso."

    Enfim, é um grande tema! Abraço!

    O link do artigo completo é: http://www.viagemlenta.com/2016/11/quando-vergonha-ofusca-o-real-prazer-e-lesa-sua-independencia-financeira.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André,

      Seu post é muito bom. :)
      Essa obrigação de ser feliz acaba prejudicando qualquer sinal de felicidade. São incompatíveis.

      "A felicidade está ligada à noção de tranquilidade."
      Boa frase, eu também penso dessa forma. Se você não estiver bem, como vai estar feliz ou no mínimo contente?

      Acredito que a escravidão dos desejos nos levam cada vez para mais longe do nosso objetivo, que é ao menos um mínimo de felicidade, tranquilidade e bem estar em um mundo tão caótico.

      Abraços,

      Excluir
  3. Acredito que a felicidade é atingida quando sabemos apreciar CADA momento dela...Não é perene...Mas vale sempre! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica,

      Você disse tudo: se não apreciarmos os momentos, a felicidade passa sem ter sido aproveitada.

      Abraços,

      Excluir
  4. Tema ótimo para discussões, e o vídeo aborda muitos pontos interessantes sobre o tema.

    Concordo com os amigos acima. Além dos pontos já muito bem destacados, tanto no vídeo, quanto nos comentários, há de se realçar o quanto a mídia tenta nos influenciar, associando consumo à felicidade, e adicionando uma pitada adicional de estresse às nossas vidas.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme,

      Bom saber que gostou do vídeo.
      Precisamos tomar muito cuidado com a influência da mídia e suas necessidades desnecessárias. A animação de hoje aborda esse tema de forma simples e profunda.

      Abraços,

      Excluir