terça-feira, 17 de abril de 2018

Hábitos saudáveis


Conforme prometido anteriormente, esse é o terceiro post sobre algumas reflexões do livro "Na jornada com Cristo", de Max Lucado. Para ver os anteriores, veja os links no final do post.

Meu objetivo é aprofundar um pouco mais o assunto, focando o lado do desenvolvimento pessoal e do autoconhecimento. Ao ler os textos, vários questionamentos e pensamentos passaram por minha mente. São eles que quero compartilhar com vocês.


Essa reflexão inicia com uma frase que dispensa comentários:
“O crescimento é o objetivo do cristão.
A maturidade é o seu dever.”

O tema proposto é a tão conhecida “zona de conforto”, que muitas vezes se torna tão desconfortável a ponto de tornar esse nome estranho, incoerente e sem conexão com a realidade, sendo mais apropriado sua mudança para “zona de desconforto”.

O crescimento e o desenvolvimento são os objetivos de todos nós, em todas as áreas da vida. Mas são de verdade mesmo, rotineiramente falando? Ou ficam na categoria do "deveriam ser"?

Geralmente é tentador e confortável ficarmos no lugar por nós escolhido, por tempo indefinido.
Mas será que isso é bom?
Será que nos proporciona algum crescimento?
Por que agimos dessa forma? Por medo? Por preguiça?
Por que será que temos tanto medo do desconhecido?


porta-de-saida-com-ceu-na-saída

O texto propõe um exercício simples, mas profundo.
“Lembre-se de uma época não muito distante de sua vida. Um ou dois anos atrás.“

Então, faça uma pergunta a si mesmo:
“Como você compara sua vida hoje com a daquele tempo?”

Você pode fazer essa pergunta para todos os setores (familiar, espiritual, profissional, saúde, finanças, formação acadêmica, etc).

Então estará apto a questionar-se de forma sincera: estou realmente aprendendo a aprender? Aprendendo a mudar?

Muitas vezes paradigmas precisam ser substituídos ou abandonados para não atrapalharem nosso próprio desenvolvimento.


Hábitos...

Palavra simples, tão comum, mas tão difícil de ser colocada em prática no momento de substituir ações indesejadas por outras que nos façam bem e proporcionem o nosso crescimento!

O objetivo dessa reflexão é incentivar a adoção de hábitos saudáveis em nossa rotina. Hábitos com os quais nos identifiquemos, que façam sentido para nós.

Apesar dessa mudança não ser impossível, é bem difícil devido a nossa própria psicoadaptação ao estilo de vida escolhido. 
Por isso, minha sugestão é: comece mudando um hábito por bimestre. Ou demore o tempo necessário até perceber consistência e solidez na mudança.


puzzle

Como costumo dizer, “muitas vezes menos é mais”. Por isso, ao mudar um hábito a cada dois meses, você terá conseguido substituir ou formar 6 novos hábitos de forma consistente e consciente em um ano.

O resultado desse esforço?
Crescimento e desenvolvimento pessoal sólidos nas coisas que realmente importam para você.



Links
1º post - O caráter produz coragem
2° post - Concentre-se na tarefa que você tem em mãos
Na jornada com Cristo (Max Lucado) – Resenha

Créditos das imagens
Saída: Naypong - Free Digital Photos
Puzzle: dream designs - Free Digital Photos






6 comentários:

  1. desenvolver bons hábitos é essencial é muito difícil.

    é uma batalha diária contra o delicioso e nocivo comodismo.

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Scant Tales,

      O comodismo é tão confortável que muitas vezes acabamos mesmo não percebendo o quão nocivo ele é.

      Abraços,

      Excluir
  2. "O crescimento e o desenvolvimento são os objetivos de todos nós, em todas as áreas da vida. Mas são de verdade mesmo, rotineiramente falando? Ou ficam na categoria do "deveriam ser"?"

    Rosana, eu tenho estado meio pessimista e inconformado com a humanidade rsrs. "Deveriam ser" eu diria em alto e bom som. Quando vemos as pessoas perdendo tempo com tantas besteiras na vida (redes sociais, TV, séries e livros imbecis de autoajuda, etc), não é possível acreditarmos que a maioria quer, de fato, crescer e desenvolver-se.

    Claro que excessos não ajudam, e claro que também não somos perfeitos: sempre deve haver um espaço para descanso da mente. Mas não fazer constantemente nada para melhorar como pessoa é algo que me incomoda um pouco. Desenvolver bons hábitos é, de fato, a chave para quebrar essa inércia...

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André,

      Gostei do que falou sobre o espaço para o descanso da mente. Equilíbrio é fundamental, sempre.

      Infelizmente o retrato atual não é bom: excesso de distrações e escassez de conhecimento, mesmo em uma época na qual muitas informações de qualidade estão na internet à disposição da maioria das pessoas.
      Por isso, a importância de cultivarmos bons hábitos, pensarmos muito bem em que cativa a nossa atenção.
      Será que tais hábitos estão nos levando para uma vida mais significativa ou mais fútil?
      O quanto os estímulos sensoriais da indústria estão nos distanciando de nossa essência, valores e objetivos?
      É como você disse: precisamos desenvolver bons hábitos para quebrar essa inércia.

      Abraços,

      Excluir
  3. Ameeei o bloguê!! Vou acompanhar!

    Se puder, dê faça uma visitinha no meu, ok? Bjinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aspirante Kraft,

      Bom saber que gostou do meu blog, vou visitar o seu também.

      Abraços,

      Excluir