terça-feira, 22 de agosto de 2017

Minha coleção de hemoglobinas


05/07/2017 tornou-se um dia inesquecível para mim. Ao descer do ônibus que utilizo para ir ao trabalho, pisei em um desnível, caí e torci o tornozelo.

Doeu demais.

Entorse
O motorista foi embora, mesmo tendo visto o que ocorreu pelo espelho retrovisor. Fiquei com aquela sensação de impotência, raiva, vulnerabilidade e outros sentimentos afins.

“Só pode ser um sonho” – foi o meu primeiro pensamento, pois o dia anterior já havia sido tenso.

Sentido uma dor considerável, consegui caminhar os 800 metros até o meu local de trabalho – como o trajeto ficou longo! 

Então notei que havia um grande edema em meu tornozelo esquerdo, em formato de bola, que no laudo do exame foi descrito com o curioso nome “coleção de hemoglobinas”. Felizmente não houve fraturas ou rompimentos, mas diversos estiramentos de ligamentos, edemas, inflamações e todas as dores e sensações que os acompanham, como intensas “agulhadas” e uma espécie de coceira interna (coisas totalmente novas para mim).

Passaram-se praticamente 7 semanas.
Dias de repouso, imobilização, preocupação, compressas de gelo, pesadelos, ansiedade e tensão. As dores e os edemas estão lenta e gradativamente diminuindo, assim como a ansiedade e a tensão.


No início de agosto comecei as sessões de fisioterapia. Nunca imaginei que em tão pouco tempo a amplitude de movimentos fosse tão afetada. Alguns exercícios são desconfortáveis e dolorosos, mas necessários. Assim é também a vida: momentos bons e ruins alternam-se ininterruptamente, com alguns durando mais e outros durando menos.

Não podemos nem conseguimos controlar tudo o que nos acontece – algo desconfortável e desagradável para todos nós (ou pelo menos para a maioria).

Segundo o princípio 90/10 de Stephen Covey, 10% do que ocorre na vida estão relacionados com o que se passa conosco. Os outros 90% estão relacionados com a forma como reagimos ao que nos ocorre. Durante esse tempo (e com uma boa dose de esforço), tenho tentado colocar isso em prática com boas leituras, bom pensamentos, boa música, alimentação e sono adequados (esses 2 últimos são especialmente importantes para a recuperação e para a saúde em geral).

Esse tem sido um tempo pare treinar a disciplina e a concentração, para modificar hábitos alimentares errados (espero ter força de vontade para continuar por esse caminho). E o mais importante: fortalecimento e mais comprometimento espiritual.


“Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”.
Romanos 8:28

Racionalmente não é fácil pensar dessa forma. Talvez seja até impossível. Mas é assim que quero compreender não só o que ocorreu comigo, mas a vida em geral.

Quantos acontecimentos são casuais?
Quantos são desvios de caminho?
Quantos são livramentos?
Quantos são “coincidências” surpreendentemente incríveis?
Quantos são inicialmente ruins, mas que transformam-se em coisas boas com o passar do tempo?

Não sabemos. Pelo menos por enquanto.


Até a próxima.


Créditos da imagem: yodiyim - Free Digital Photos

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Os alimentos mais viciantes da atualidade



Um grupo de pesquisadores da Universidade Michigan (EUA) fez um estudo no ano de 2015, com o objetivo de descobrir quais são os alimentos mais viciantes da dieta moderna, que tanto valoriza o sabor e a praticidade dos alimentos prontos.

Dos 20 alimentos citados, acredito que a maioria faça parte da alimentação diária de muitos leitores do blog.

Fiquei surpresa ao verificar que nozes e ovos também fazem parte desse grupo.  Isso ocorre por serem alimentos ricos em gordura. Os outros, além de gordura, podem ser ricos em açúcar e/ou altamente processados.


Pizza


O que exatamente causa o vício?
Segundo o professor Gilberto Brasiliano, o “centro de recompensas” que temos no cérebro é ativado por alimentos ricos em açúcar e gordura, sendo essa a mesma área relacionada à vícios.

“Os alimentos altamente processados tendem a desencadear respostas biológicas que são semelhantes às de comportamentos viciantes, principalmente por estarem relacionados a altos níveis de recompensa ” – explica o professor Gilberto Brasiliano.

Confira abaixo a lista dos alimentos mais viciantes.

20 – Ovos
19 -  Nozes
18 – Muffins
17 – Bife
16 – Gummies
15 – Cereal matinal
14 – Pipoca amanteigada
13 – Salgadinhos assados
12 – Frango frito
11 – Bacon
10 – Queijo
09 – Bolo
08 – Refrigerante
07 – Cheeseburger
06 – Batata-frita
05 – Sorvete
04 – Cookies
03 – Salgadinhos
02 – Chocolate
01 – Pizza

Fiquei surpresa ao constatar que pizza está em primeiro lugar, principalmente por ser predominantemente salgada.

A mesma pesquisa demonstra também que os alimentos não processados, com nenhum ingrediente refinado são os alimentos menos viciantes. Entre eles estão: pepino, arroz integral, banana, morango, cenoura, brócolis.


Testando!
Para mim, somente o item 2 é viciante, mas não de forma exagerada. Os outros que consumo (9, 15, 19, 20 e 10 – somente muzzarela) não alcançaram esse status, pois raramente percebo que quero muito consumir algum deles, pois não fazem tanta diferença em meus hábitos alimentares.



Agora é a sua vez!
Gostaria de sugerir que você também fizesse esse teste por algumas semanas ou meses, para verificar quais alimentos são mais propensos a desencadear esse tipo de resposta biológica em seu organismo.

Na lista acima com o top 20 não há nenhuma fruta, verdura, tubérculo ou legume. Talvez porque a composição química desses alimentos seja equilibrada, com o objetivo de alimentar e não de viciar ou sobrecarregar o organismo – se consumidos em quantidades adequadas.

A maioria dos alimentos da lista proporciona o aumento dos radicais livres, que por sua vez acelera o envelhecimento. Além disso, sobrecarrega o pâncreas devido aos constantes picos glicêmicos e pode acarretar outros problemas agudos e crônicos.

Segundo Conceição Trucom, “hoje sabe-se que o pâncreas é um órgão atrofiado devido ao enorme estresse que sofre desde a mais tenra idade. E uma informação chocante: hoje, uma criança com 2-3 anos de idade já consumiu todo o açúcar que um adulto 100 anos atrás, consumia ao longo de toda a sua vida.”


Então eu pergunto: precisamos mesmo desses alimentos?




Cesta de frutas

Quanto mais natural o alimento for, melhor para a saúde.

A simplicidade, tão esquecida em vários aspectos da vida, parece também ter sido relegada à segundo plano na alimentação. Mas não precisamos – e nem devemos – deixar que os hábitos da sociedade de consumo dominem também essa área fundamental da vida.

Por motivos óbvios, a indústria quer vender. Mas será que precisamos mesmo comprar?


Pense nisso!




Créditos da imagens:
Pizza:  artemisphoto - Free Digital Photos
Cesta de frutas:  Ambro - Free Digital Photos 

Referências:
http://boaforma.abril.com.br/dieta/os-alimentos-mais-viciantes-segundo-um-estudo-de-michigan/
http://www.megacurioso.com.br/ciencia/85701-pesquisa-revela-quais-sao-os-20-alimentos-mais-viciantes-de-todos.htm
http://ns.umich.edu/new/noticias-em-portugues/22762-igual-a-nicotina-e-o-alcool-batata-frita-chocolate-e-pizza-tambem-viciam
http://ns.umich.edu/new/noticias-em-portugues/22762-igual-a-nicotina-e-o-alcool-batata-frita-chocolate-e-pizza-tambem-viciam
http://www.boasaude.com.br/noticias/701/acucar-no-sangue-pode-aumentar-producao-de-radical-livre.html
http://www.envelhecimento.med.br/radicaisLivres.php
http://www.minhavida.com.br/beleza/materias/4973-acucar-causa-envelhecimento-da-pele
https://www.docelimao.com.br/site/especial-kids/alimentacao/435-acucar-gostoso-veneno-ou-doce-ilusao.html
http://www.mundoboaforma.com.br/como-os-picos-de-insulina-afetam-seu-corpo-e-como-evita-los/
http://riodesaude.blogspot.com.br/2014/09/nao-sobrecarregar-o-pancreas-causando.html