sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Para pensar #23



"Não espere ficar sozinho para reconhecer o valor de quem está ao seu lado.

Não espere ficar de luto para reconhecer quem é importante para você."

(autor desconhecido)





terça-feira, 17 de outubro de 2017

Como utilizar o fio dental sem machucar os dedos


Hoje eu gostaria de compartilhar uma dica muito útil que encontrei há alguns anos.

Durante toda a minha vida eu enrolei o fio dental nos dedos para utilizá-lo e com isso machucava as pontas dos dedos, deixando-as vermelhas e doloridas.

Então encontrei essa dica sensacional: amarre as 2 pontas do fio, de forma a torná-lo fechado. Dê vários nós, pois eles acabam se desfazendo já que o fio é geralmente liso.

Pronto!

Agora é só colocar seus dedos indicadores dentro do círculo e deslizar o fio dental como de costume. 

Dedos doloridos ou vermelhos nunca mais!


Como utilizar o fio dental


Fonte da imagem: https://skinvac.blogspot.com.br/2014/01/how-to-floss-your-teeth-the-easy-way-for-people-who-hate-flossing.html


terça-feira, 10 de outubro de 2017

Você tem tempo para você?


Vivemos na sociedade da pressa e quase sempre agimos de forma automática.

Quanto mais rápido e automático, melhor!  Será mesmo?

Quantas vezes realmente prestamos atenção no que estamos fazendo, sem deixar que a automatização excessiva nos torne, de certa forma, parecidos com robôs?

Passado, presente e futuro

Quantos minutos por dia você realmente está presente no momento presente?

A automatização é necessária e importante, mas não de forma exagerada. Com ela, há menor consumo de energia cerebral, pois as sinapses já prontas e muito utilizadas conseguem uma considerável economia de energia. Por exemplo, quando você começou a dirigir, a tocar um instrumento musical, a cozinhar ou andar de bicicleta, prestava muita atenção em todos os detalhes, mas com o tempo, as ações tornaram-se naturais. Tudo o que fazemos com certa frequência torna-se automático.

O problema é que estamos exagerando na automatização, dando muito pouco espaço para vivermos de verdade esses momentos. Parece até que pensamos demais e vivemos de menos. 
Oscilamos entre o passado e o futuro, mas quando realmente vivemos o presente?

Por isso, hoje eu gostaria de sugerir que você reserve um tempo para você mesmo, para qualquer atividade na qual possa estar plenamente presente. Pode ser uma meditação, um banho relaxante, uma música, a leitura de um livro, uma caminhada, etc. Desde que seja algo que te agrade, praticando de maneira constante você acabará tendo consciência e percepção de você mesmo e até gostando de sua própria companhia, o que resultará em melhor autoconhecimento, mais confiança, equilíbrio, domínio próprio e contentamento.

Viver o momento presente

O mundo está tão barulhento e dinâmico, que nada melhor do que dedicar um tempo só para você, para reequilibrar-se e recarregar as energias. 

Sua saúde agradece!


Créditos das imagens: Stuart Miles e ponsuwan Free Digital Photos

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Aceitação


Todos temos uma certa dificuldade em aceitar as pessoas como elas são, principalmente seus defeitos e manias. Ao mesmo tempo, quando nos conhecemos um pouco melhor, alguns de nossos defeitos e manias tornam-se incômodos a nós mesmos, mas para aqueles que não achamos tão graves ou disfuncionais, recorremos às justificativas, tentando racionalizar através de diálogos internos ou com outras pessoas, os motivos de sermos ou agirmos de uma determinada maneira, que muitas vezes não é agradável àqueles que convivem conosco.

Veja a incoerência: um defeito (ou mania) em mim é tolerável, mas o mesmo defeito em outra pessoa é irritante, desagradável ou até insuportável. De certa maneira, nos falta empatia para aceitarmos as pessoas como elas são.

Ninguém muda ninguém. Uma pessoa só mudará a si mesma se em primeiro lugar ela realmente quiser.

Olhando de fora, parece tão fácil mudar os outros ou resolver seus problemas! Ao mesmo tempo, as mesmas questões em nossa vida não parecem tão fáceis e rápidas de serem resolvidas.

Porque subestimamos a dificuldade do outro enquanto aumentamos (ou até exageramos) a nossa?
Por que minimizamos nossos defeitos e manias enquanto maximizamos os de outras pessoas?

Talvez o mundo funcionasse um pouco melhor se aceitássemos as pessoas como elas realmente são. Claro que dicas para crescimento e desenvolvimento são adequadas e úteis, desde que como sugestão e não como imposição.
O que é óbvio para mim, muitas vezes não é para você, e vice-versa.


Finalizo com uma breve reflexão de Max Lucado sobre o assunto.

"O conflito é inevitável, mas o combate é opcional."

Algum tempo atrás, minha mulher comprou um macaco. Eu não queria um macaco em minha casa, por isso me opus.
- Onde ele vai comer?-perguntei.
- Em nossa mesa.
- Onde ele vai dormir? -inquiri.
- Em nossa cama.
- E quanto ao mau cheiro? _ eu quis saber.
- Eu me acostumei com o seu; acho que o macaco também vai se acostumar.

A harmonia não começa quando examinamos os outros, mas quando examinamos a nós mesmos.
A harmonia não começa quando exigimos que os outros mudem, mas quando admitimos que não somos tão perfeitos assim...


Balança da aceitação

A respostas às contendas? Aceitação.
O primeiro passo para a harmonia? Aceitação.
Não concordância, mas aceitação.
Não unanimidade,mas aceitação.
Não negociação, arbitrariedade ou aperfeiçoamento.
Tudo isso pode vir depois, mas somente depois do primeiro passo: aceitação.


Trecho de "Na jornada com Cristo" - Max Lucado

Créditos da imagem: Stuart Miles - Free Digital Photos

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Claramente


Nossa vida é basicamente pautada por 3 aspectos:

1) Cognição - o que pensamos.
2) Afeição - nossas emoções.
3) Volição - a ação tomada após vivenciarmos os aspectos anteriores (separados ou em conjunto).

Quantas vezes nos deixamos dominar pelas emoções?
Quantas vezes conseguimos agir racionalmente, de forma coerente e que nos proporcione satisfação?
Autoconhecimento
Domínio próprio - expressão tão conhecida, mas que poucos conseguem colocar em prática de maneira eficaz na maior parte do tempo, principalmente nos relacionamentos mais íntimos.

Fiz essa breve introdução com temas abordados no programa Claramente para apresentar-lhes essa série que estreou em abril desse ano e que está disponível na TV Novo Tempo e no You Tube.

Nos primeiros capítulos, o psiquiatra Dr. César Vasconcellos fala sobre o funcionamento da mente. Após isso, aborda alguns conceitos, transtornos e doenças mentais como ansiedade, depressão, neurose, transtorno obsessivo-compulsivo e inteligência emocional.

Um dos aspectos que mais gostei é a abordagem conjunta entre corpo, mente e espírito, mostrando o quanto um influencia o outro. É o primeiro programa do gênero que assisti, que leva em conta também o lado espiritual - de forma branda, já que o objetivo é a saúde mental.

Cada capítulo possui aproximadamente 25 minutos. Abaixo está o primeiro capítulo. Os próximos outros você encontra aqui.

 

Tenho aprendido muitas coisas novas, interessantes e úteis nesse programa. Espero que também sejam úteis à vocês.


Até a próxima!

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Porque eu também abri uma conta no Banco Inter


Seguindo o post do André Azevedo (Viagem Lenta), eu também gostaria de compartilhar minhas impressões sobre o Banco Inter, no qual abri uma conta esse ano.


Finanças


A abertura foi muito simples, rápida e sem complicações, tudo feito através do aplicativo do banco.
Pouco tempo depois, recebi o cartão de débito (que segundo informações no site, também pode possui a função crédito sem cobrança de anuidade). Há três tipos de cartões: Standard (para investimentos de até R$ 50k), Platinum (de 50 a 250K) e Black (acima de 250K).
Por ser uma conta digital, as TEDs são gratuitas. Há também opções de investimentos em fundos, Tesouro Direto e títulos de renda fixa (LCI, LCA e CDB).
Para o TD, a taxa de administração é zero. Por enquanto, o Banco Inter não é um agente integrado (investimento direto no TD pelo site da corretora/banco), mas espero que seja futuramente.

Para mim, o destaque é a possibilidade de efetuar transferências por boleto (limitados a 10 boletos mensais gratuitos), pois a conta corrente que tenho em outro banco é a conta de serviços essenciais, que não contempla TEDs gratuitas. A emissão do boleto é muito simples e em 2 ou 3 dias após o pagamento, o valor estipulado está disponível na conta corrente do Banco Inter.

Todas as vezes que necessitei de atendimento para solicitações ou esclarecimentos de dúvidas, fui atendida rapidamente e de forma satisfatória. Além disso, a partir desse mês (09/2017) é enviado um e-mail ao correntista informando quando um título venceu. Apesar dos controles pessoais, é um bom lembrete para o caso de esquecimentos ocasionais.

Estou gostando do Banco Inter, pois ele atende bem minhas necessidades, sem as altas taxas e tarifas cobradas pelos grandes bancos de varejo.

O Banco Inter tem adotado uma estratégia de marketing relevante para conseguir conquistar cada vez mais clientes. Até o ano passado eu só o conhecia por disponibilizar títulos de renda fixa em corretoras de valores. Jamais passou pela minha cabeça a ideia de abrir uma conta, até começar a ver banners, reportagens, posts e anúncios sobre o banco, cada vez com mais frequência.

Gostei da mudança recente do nome (de Intermedium para Inter) e do logotipo, pois ambos passam uma imagem mais simples, agradável, moderna e descomplicada.

Para saber mais, acesse os sites:
Banco Inter: https://bancointer.com.br/
Banco Data – https://bancodata.com.br/ - Esse site disponibiliza os resultados de todas as instituições financeiras do Brasil. Como curiosidade, compare os resultados do Banco Inter (ou de outros bancos menores) com os de grandes bancos de varejo. Ao ver o lucro líquido que conseguiram nos últimos anos, você vai entender melhor porque os maiores cobram taxas e tarifas tão altas.


Até a próxima!


Créditos da imagem: cooldesign - Free Digital Photos

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Reza a lenda – D'naipes


A sociedade passou por tantas profundas e significativas mudanças nas últimas décadas, que para quem é criança hoje, talvez seja difícil imaginar que um dia, em um passado não muito distante, haviam crianças com a sua idade que brincavam em grupo na rua e que haviam cartas de papel escritas à mão, que demoravam dias para chegar ao destinatário.


Crianças


A letra nos remete também ao futuro, sonhos e objetivos quando diz:
“Todo dia é dia pra lembrar que temos tanto a fazer
Seja a diferença tudo pode estar com você.”

E encerra falando sobre a frieza da atualidade:
“Reza a lenda que ouvi de um sonhador
Que o presente está carente de amor.”

Essa música apresenta uma combinação muito agradável entre melodia, poesia, arranjos e efeitos.
Vale a pena ouvir!



Reza a lenda – D'naipes


Créditos da imagem: Stuart Miles - Free Digital Photos



quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Mudanças no blog


Time to change!Hoje eu gostaria de falar um pouco sobre as mudanças que estou implementando no Simplicidade e Harmonia.

Como vocês perceberam, há algum tempo mudei o fundo azul escuro para branco, pois pesquisei sobre o assunto acredito que dessa forma a leitura será mais agradável, lembrando de certa forma a leitura de um livro.

Em todos os posts coloquei uma imagem, o que farei também com as novas postagens, para deixar o visual do blog e a leitura mais agradáveis. Algumas imagens são de minha autoria, mas a maior parte são de bancos de imagens (sempre identificados em cada post).

Os links para as redes sociais ganharam destaques específicos para melhor visualização, pois acredito que o texto corrido os deixava meio “apagados” no blog.

Por enquanto, basicamente essas são as mudanças. Tenho outras em mente, mas ainda estou estudando a melhor maneira de implementá-las.


Gostaria muito de saber sua opinião.
Gostou?
Não gostou?
Sugestões para melhorias serão sempre bem-vindas a qualquer momento.


Até a próxima!



Créditos da imagem: Stuart Miles - Free Digital Photos

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Respostas incríveis à oração (Roger Morneau) – Resenha



Fiz questão de colocar as fotos da capa e da contracapa na resenha desse livro de 128 páginas e 9 capítulos publicado pela Casa Publicadora Brasileira (edição de 2003) para melhor ideia do assunto abordado.



Respostas incríveis à oração - Roger MorneauRespostas incríveis à oração - Roger Morneau

(clique nas imagens para ampliá-las)


Os casos relatados são principalmente da época em que o autor trabalhava com vendas de anúncios de listas telefônicas de páginas amarelas entre as décadas de 1970 e 1980. Embora as regras corporativas proibissem a abordagem do tema religião com colegas de trabalho e clientes, Roger Morneau ouvia os relatos de problemas de alguns deles e dizia que oraria por eles sobre a questão relatada. Então, grandes mudanças aconteciam.

“A oração transforma as coisas” – frase curta, simples, clara e direta, pronunciada por uma das pessoas pelas quais o autor intercedeu. Questões familiares, profissionais, de saúde e vícios – todas tornaram-se objetos de intercessões bem-sucedidas.

Respostas às orações pessoais também são relatadas. Em um desses acontecimentos o auto diz:
“Nada prepara melhor uma pessoa para a oração sincera, de coração, como a ameaça de morte”.
 


Uma das partes mais práticas do livro refere-se aos 9 fatores que o autor acredita serem essenciais para uma vida cristã bem-sucedida.

1) Divino amor compassivo: é o amor sem limites pelas outras pessoas. Um tipo de amor que emana diretamente do trono de Deus.

2) Felicidade celeste: embora Satanás nos faça crer que podemos encontrar felicidade através da satisfação própria, cada vez mais a humanidade tem percebido que é melhor dar do que receber. (VERSÌCULO) Precisamos primeiro aprender a servir, para só então sermos servidos.

3) Paz celestial: a paz que proporciona um descanso agradável, através de um estado mental ou espiritual libertador de nossos próprios medos perturbadores.

4) Paciência

5) Gentileza

6) Bondade

7) Humildade
Sobre esses 4 fatores não há muito o que dizer, pois todos sabemos a importância de cada um deles em nossas vidas.

8) Fé viva: fator essencial, pois sem ele não há crescimento espiritual.

9) Domínio próprio: atualmente, quem consegue governar a si próprio em todos, ou pelo menos na maioria dos aspectos da vida de forma realmente eficaz? A dica do autor nessa questão é memorizar versículos bíblicos, pois dessa forma, em momentos ruins conseguiremos ter mais controle sobre nossos pensamentos. Falhar nesse controle pode ser desastroso, além da possibilidade de ocasionar consequências irreversíveis.




O autor finaliza com o capítulo “Cada problema é um convite à oração”. Se soubermos utilizar a oração com sabedoria, não pensando apenas em benefício próprio, poderemos obter bons resultados.

Aqui, faço uma ressalva: orar é apenas uma parte do processo. É também preciso agir.

Oração sem ação é vazia, ineficaz e sem resultados consistentes e duradouros – exceto em raros casos.


Conclusão
É um livro destinado àqueles que acreditam no poder da oração pessoal e intercessória. Proporciona ânimo, esperança, tranquilidade e reflexões sobre o assunto.


Recomendo!

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Impermanência


Quando ocorre algo que foge do nosso controle é que percebemos quão sólidos ou frágeis são as nossas bases, como domínio próprio, determinação, resiliência e paciência.


Turbina de madeira no jardim

Felizmente a vida é impermanente e dessa forma temos a chance de modificar nossos sentimentos e pensamentos para que sejam mais coerentes com nossos valores e objetivos.


Pense nisso!


Créditos da imagem: neramit1893 - Free Digital Photos 

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Minha coleção de hemoglobinas


05/07/2017 tornou-se um dia inesquecível para mim. Ao descer do ônibus que utilizo para ir ao trabalho, pisei em um desnível, caí e torci o tornozelo.

Doeu demais.

Entorse
O motorista foi embora, mesmo tendo visto o que ocorreu pelo espelho retrovisor. Fiquei com aquela sensação de impotência, raiva, vulnerabilidade e outros sentimentos afins.

“Só pode ser um sonho” – foi o meu primeiro pensamento, pois o dia anterior já havia sido tenso.

Sentido uma dor considerável, consegui caminhar os 800 metros até o meu local de trabalho – como o trajeto ficou longo! 

Então notei que havia um grande edema em meu tornozelo esquerdo, em formato de bola, que no laudo do exame foi descrito com o curioso nome “coleção de hemoglobinas”. Felizmente não houve fraturas ou rompimentos, mas diversos estiramentos de ligamentos, edemas, inflamações e todas as dores e sensações que os acompanham, como intensas “agulhadas” e uma espécie de coceira interna (coisas totalmente novas para mim).

Passaram-se praticamente 7 semanas.
Dias de repouso, imobilização, preocupação, compressas de gelo, pesadelos, ansiedade e tensão. As dores e os edemas estão lenta e gradativamente diminuindo, assim como a ansiedade e a tensão.


No início de agosto comecei as sessões de fisioterapia. Nunca imaginei que em tão pouco tempo a amplitude de movimentos fosse tão afetada. Alguns exercícios são desconfortáveis e dolorosos, mas necessários. Assim é também a vida: momentos bons e ruins alternam-se ininterruptamente, com alguns durando mais e outros durando menos.

Não podemos nem conseguimos controlar tudo o que nos acontece – algo desconfortável e desagradável para todos nós (ou pelo menos para a maioria).

Segundo o princípio 90/10 de Stephen Covey, 10% do que ocorre na vida estão relacionados com o que se passa conosco. Os outros 90% estão relacionados com a forma como reagimos ao que nos ocorre. Durante esse tempo (e com uma boa dose de esforço), tenho tentado colocar isso em prática com boas leituras, bom pensamentos, boa música, alimentação e sono adequados (esses 2 últimos são especialmente importantes para a recuperação e para a saúde em geral).

Esse tem sido um tempo pare treinar a disciplina e a concentração, para modificar hábitos alimentares errados (espero ter força de vontade para continuar por esse caminho). E o mais importante: fortalecimento e mais comprometimento espiritual.


“Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”.
Romanos 8:28

Racionalmente não é fácil pensar dessa forma. Talvez seja até impossível. Mas é assim que quero compreender não só o que ocorreu comigo, mas a vida em geral.

Quantos acontecimentos são casuais?
Quantos são desvios de caminho?
Quantos são livramentos?
Quantos são “coincidências” surpreendentemente incríveis?
Quantos são inicialmente ruins, mas que transformam-se em coisas boas com o passar do tempo?

Não sabemos. Pelo menos por enquanto.


Até a próxima.


Créditos da imagem: yodiyim - Free Digital Photos

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Os alimentos mais viciantes da atualidade



Um grupo de pesquisadores da Universidade Michigan (EUA) fez um estudo no ano de 2015, com o objetivo de descobrir quais são os alimentos mais viciantes da dieta moderna, que tanto valoriza o sabor e a praticidade dos alimentos prontos.

Dos 20 alimentos citados, acredito que a maioria faça parte da alimentação diária de muitos leitores do blog.

Fiquei surpresa ao verificar que nozes e ovos também fazem parte desse grupo.  Isso ocorre por serem alimentos ricos em gordura. Os outros, além de gordura, podem ser ricos em açúcar e/ou altamente processados.


Pizza


O que exatamente causa o vício?
Segundo o professor Gilberto Brasiliano, o “centro de recompensas” que temos no cérebro é ativado por alimentos ricos em açúcar e gordura, sendo essa a mesma área relacionada à vícios.

“Os alimentos altamente processados tendem a desencadear respostas biológicas que são semelhantes às de comportamentos viciantes, principalmente por estarem relacionados a altos níveis de recompensa ” – explica o professor Gilberto Brasiliano.

Confira abaixo a lista dos alimentos mais viciantes.

20 – Ovos
19 -  Nozes
18 – Muffins
17 – Bife
16 – Gummies
15 – Cereal matinal
14 – Pipoca amanteigada
13 – Salgadinhos assados
12 – Frango frito
11 – Bacon
10 – Queijo
09 – Bolo
08 – Refrigerante
07 – Cheeseburger
06 – Batata-frita
05 – Sorvete
04 – Cookies
03 – Salgadinhos
02 – Chocolate
01 – Pizza

Fiquei surpresa ao constatar que pizza está em primeiro lugar, principalmente por ser predominantemente salgada.

A mesma pesquisa demonstra também que os alimentos não processados, com nenhum ingrediente refinado são os alimentos menos viciantes. Entre eles estão: pepino, arroz integral, banana, morango, cenoura, brócolis.


Testando!
Para mim, somente o item 2 é viciante, mas não de forma exagerada. Os outros que consumo (9, 15, 19, 20 e 10 – somente muzzarela) não alcançaram esse status, pois raramente percebo que quero muito consumir algum deles, pois não fazem tanta diferença em meus hábitos alimentares.



Agora é a sua vez!
Gostaria de sugerir que você também fizesse esse teste por algumas semanas ou meses, para verificar quais alimentos são mais propensos a desencadear esse tipo de resposta biológica em seu organismo.

Na lista acima com o top 20 não há nenhuma fruta, verdura, tubérculo ou legume. Talvez porque a composição química desses alimentos seja equilibrada, com o objetivo de alimentar e não de viciar ou sobrecarregar o organismo – se consumidos em quantidades adequadas.

A maioria dos alimentos da lista proporciona o aumento dos radicais livres, que por sua vez acelera o envelhecimento. Além disso, sobrecarrega o pâncreas devido aos constantes picos glicêmicos e pode acarretar outros problemas agudos e crônicos.

Segundo Conceição Trucom, “hoje sabe-se que o pâncreas é um órgão atrofiado devido ao enorme estresse que sofre desde a mais tenra idade. E uma informação chocante: hoje, uma criança com 2-3 anos de idade já consumiu todo o açúcar que um adulto 100 anos atrás, consumia ao longo de toda a sua vida.”


Então eu pergunto: precisamos mesmo desses alimentos?




Cesta de frutas

Quanto mais natural o alimento for, melhor para a saúde.

A simplicidade, tão esquecida em vários aspectos da vida, parece também ter sido relegada à segundo plano na alimentação. Mas não precisamos – e nem devemos – deixar que os hábitos da sociedade de consumo dominem também essa área fundamental da vida.

Por motivos óbvios, a indústria quer vender. Mas será que precisamos mesmo comprar?


Pense nisso!




Créditos da imagens:
Pizza:  artemisphoto - Free Digital Photos
Cesta de frutas:  Ambro - Free Digital Photos 

Referências:
http://boaforma.abril.com.br/dieta/os-alimentos-mais-viciantes-segundo-um-estudo-de-michigan/
http://www.megacurioso.com.br/ciencia/85701-pesquisa-revela-quais-sao-os-20-alimentos-mais-viciantes-de-todos.htm
http://ns.umich.edu/new/noticias-em-portugues/22762-igual-a-nicotina-e-o-alcool-batata-frita-chocolate-e-pizza-tambem-viciam
http://ns.umich.edu/new/noticias-em-portugues/22762-igual-a-nicotina-e-o-alcool-batata-frita-chocolate-e-pizza-tambem-viciam
http://www.boasaude.com.br/noticias/701/acucar-no-sangue-pode-aumentar-producao-de-radical-livre.html
http://www.envelhecimento.med.br/radicaisLivres.php
http://www.minhavida.com.br/beleza/materias/4973-acucar-causa-envelhecimento-da-pele
https://www.docelimao.com.br/site/especial-kids/alimentacao/435-acucar-gostoso-veneno-ou-doce-ilusao.html
http://www.mundoboaforma.com.br/como-os-picos-de-insulina-afetam-seu-corpo-e-como-evita-los/
http://riodesaude.blogspot.com.br/2014/09/nao-sobrecarregar-o-pancreas-causando.html



terça-feira, 1 de agosto de 2017

Computadores x Descargas Elétricas


A conexão via cabo da rede de telefonia, através da qual recebemos os dados da internet, não pode possuir filtros, pois tais dispositivos prejudicam a intensidade do sinal, que é muito sensível à interferências.

Modem

Por isso, sobretensões na rede externa – principalmente aquelas ocasionadas por intempéries – podem prejudicar os equipamentos que estejam diretamente conectados à linha telefônica, causando danos aos componentes do modem ou do computador. O segundo caso ocorreu com um colega de trabalho e então pensei em criar esse post, pois suponho que muitas pessoas não saibam que a corrente pode passar pelo modem e atingir a placa-mãe do computador, assim como eu não sabia.

A sobrecarga danificou 3 capacitores, que custaram menos de R$ 2,00 cada, mas a mão de obra custou R$ 130,00. Não sei se o preço foi caro ou não, mas sei que a formação técnica em eletrônica/informática não é barata e exige muita dedicação. Além disso, soldar capacitores (ou qualquer outra coisa) em uma placa-mãe, que tem tantas trilhas e componentes tão próximos, não é para qualquer um. Sobre esse assunto, gostaria de sugerir a leitura do post: Quanto vale o seu conhecimento? Postar link quanto vale o seu conhecimento?

Assim como somos instruídos a retirar os aparelhos eletrônicos das tomadas em caso de tempestades, o mesmo deveria ocorrer com o cabo telefônico conectado ao modem. De qualquer forma, fica a dica. Como precaução, tenho feito assim desde o ocorrido.

Até a próxima!


Créditos da imagem: interphasesolution - Free Digital Photos

terça-feira, 25 de julho de 2017

Ignorância Seletiva


O excesso de informações e estímulos mentais aos quais somos expostos diariamente é enorme, mas não costumamos dar muita – ou nenhuma – atenção a essa questão.
Muitas vezes, isso ocorre não por falta de interesse, mas simplesmente por falta de conhecimento.

Para melhor compreensão sobre o assunto, sugiro um exercício: pense na quantidade de informações irrelevantes para a sua vida que tomaram o seu tempo nas últimas 24 horas. Ou faça esse teste nas próximas 24 horas.
Tenho quase certeza que irá se surpreender com a grande quantidade de informações irrelevantes ou até mesmo inúteis que fizeram parte desse curto período de tempo de sua vida.

Agora, pense nisso de forma mais ampla. Meses. Anos. Décadas.

Acredito que se fosse possível somarmos a quantidade de tempo que perdemos com coisas inúteis, ficaríamos chocados.

Se aprofundássemos o pensamento para o fato de que a vida é formada por tempo (segundos, minutos, dias, anos), acredito que ficaríamos mais do que chocados.

Quanto do seu precioso, insubstituível e finito tempo foi praticamente perdido com informações irrelevantes?


Vida

Assim como águas passadas não movem moinhos, é importante ficar atento a essa questão. É fundamental aprendermos a filtrar o que é importante para nós, independentemente de ser um assunto muito comentado, mas que não causa impacto algum em nossas vidas – e muitas vezes nem é do nosso interesse.

É muito importante termos sabedoria para utilizar nosso tempo e nossa mente com temas realmente importantes para nós, temas que sejam relevantes e auxiliares no crescimento pessoal e como membros da sociedade.


Ideias

Além disso, dificilmente ideias surgirão em uma mente tão ocupada com notícias diárias.

Por isso, convido você a praticar a ignorância seletiva por uma semana. Então, você verá quanto tempo e vida desperdiçou com notícias e fatos banais, fúteis e totalmente inúteis a você mesmo.

Pense nisso!


Para saber mais sobre o assunto:
Nós escolhemos a realidade que queremos viver
http://www.valoresreais.com/2014/08/11/nos-escolhemos-realidade-que-queremos-viver/
Ignorância Seletiva
http://transcendenciafinanceira.com/ignorancia-seletiva.html

Créditos das imagens: 
Vida - Sira Anamwong - Free Digital Photos
Ideias - jscreationzs - Free Digital Photos


sexta-feira, 21 de julho de 2017

A determinação para achar o sentido da vida - Eduardo Marinho at TEDxAvCataratas



Reflexões óbvias para poucos, mas que no fundo, acredito que todos saibam.
Será que realmente temos a sensação de realização genuína?

Descrição no YouTube:
Eduardo Marinho, artista plástico com histórias fora do convencional, compartilhará suas perspectivas únicas e profundas da vida urbana. Ele consegue fazer as pessoas lembrar coisas que elas sabem, mas, geralmente, esquecem.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Entretenimento x contentamento


Há algum tempo, em uma conversa entre colegas, ouvi algo que acho merecer um post. 

Era manhã de segunda-feira e um deles falou, todo sorridente:
- Passei o fim de semana inteiro assistindo o seriado X no Ne....ix.
- Que legal! Eu também preciso
(precisa mesmo?) assistir o seriado Y – outro respondeu.
 

Controle remoto

Aparentemente todos aprovaram a maneira como o fim de semana fora utilizado. Menos eu, que obviamente fiquei quieta, mas me sentido deslocada, vivendo em uma sociedade com hábitos aparentemente comuns, mas para mim tão estranhos e distantes da minha essência. Veja aqui a diferença entre comum e normal.

Essa não foi a primeira pessoa que ouço dizer ter gasto suas horas sua vida assistindo de forma sucessiva vários episódios de temporadas de seriados. Então, fiquei pensando: será que após 5 horas assistindo televisão ininterruptamente, a pessoa ainda está se divertindo de verdade? Ou será que continua assistindo, na esperança de obter a mesma sensação de divertimento que as outras pessoas dão a entender que conseguem?

Será que alguém consegue mesmo se divertir assistindo televisão como no exemplo inicial do post?

Já ouvi relatos semelhantes de pessoas de várias faixas etárias: 20, 30, 40, 50 anos. E acho que você também. Mas nunca vi nenhuma criança falar algo assim. Acho que nem elas teriam paciência para ficar tanto tempo em frente à televisão de forma estática (exceção para os videogames). Além disso, seus pais não permitiriam.

Sinceramente, não vejo sentido em hábitos como esse. Talvez sejam hábitos de uma sociedade ávida por consumo, novidades, informação, realização, diversão, entretenimento, contentamento, completude, felicidade...
Hábitos de uma sociedade que anseia por uma vida que faça sentido.
Que anseia pela vida que realmente vale a pena ser vivida. Sobre isso, indico o video "Um instante de vida que poderia durar um pouco mais", do professor Clóvis de Barros Filho. Clique aqui para assistir.



Praia


Créditos das imagens:
Praia - worradmu - Free Digital Photos
Controle remoto - graur razvan ionut - Free Digital Photos


terça-feira, 11 de julho de 2017

Como aumentar a produtividade e o foco


Você já reparou que quando há algo importante a fazer, frequentemente o cérebro fica nos lembrando da tarefa pendente?

Por exemplo, procurar um documento, pagar uma fatura, agendar uma consulta médica, anotar uma ideia, comprar algo não habitual no supermercado, verificar o extrato bancário... enfim, são várias “pequenas” tarefas importantes que não fazem parte do cotidiano que ficam “martelando” na mente.

 

Post it


Se a tarefa puder ser concluída em menos de 2 minutos, o ideal é executá-la logo, resolvendo assim a questão. Veja aqui sobre a Regra dos 2 Minutos.

Se isso não for possível, o ideal é anotá-la em uma Lista de Tarefas ou em uma Agenda, pois dessa forma o cérebro fica “liberado” da obrigação da lembrança contínua da questão pendente.

O resultado?
A concentração, o foco e a produtividade melhoram significativamente.
Simples e eficaz.

Em minha vida esse hábito tem proporcionado excelentes resultados e espero que aconteça o mesmo para você.

Recomendo também a leitura da resenha do livro Você sabe estudar? – Parte 1 e Parte 2, que aborda técnicas para a obtenção de melhores resultados nos estudos.

 

Até a próxima!

Créditos da imagem: Graphics Mouse - Free Digital Photos

terça-feira, 4 de julho de 2017

Quanto vale o seu conhecimento?


Muitas vezes achamos que o preço pago por um serviço é caro demais.
Mas será que é mesmo?
 

Certo dia, o gerente de uma multinacional teve um problema com seu computador que utilizava para gerenciar mais de 20 filiais de sua empresa. Não podendo perder tempo com isso, chamou um técnico para que resolvesse o problema de seu computador o mais rápido possível.

O técnico chegou, olhou, olhou e olhou... Após alguns minutos (poucos), apenas apertou um parafuso e o computador voltou a funcionar perfeitamente.

O executivo perguntou ao técnico quanto tinha ficado o serviço. 

O técnico simplesmente respondeu “mil reais”. 
O executivo não entendeu o motivo de o valor ter sido tão alto, então, para ver se colocava o técnico em uma encruzilhada pediu para que fizesse um relatório do serviço.

Electronic Fixing

Então o técnico lhe apresentou o seguinte relatório:
Apertar o parafuso = R$1,00.
Saber qual parafuso apertar: R$999,00.
Total: R$1.000,00.

Sem dizer nada, o executivo fez o cheque e pagou.



Fonte da parábola: http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/quanto-vale-o-seu-conhecimento/24813/

Créditos da imagem: Surachai - Free Digital Photos

terça-feira, 27 de junho de 2017

Na jornada com Cristo (Max Lucado) – Resenha




Max Lucado

O livro possui 160 páginas e é basicamente formado por reflexões curtas, de 2 a 4 páginas retiradas de outros livros do autor.
 

No final há um esboço para um plano de ação com objetivos e providências a serem tomadas. Uma semana, 1 mês, 6 meses, 1 ano, etc. Achei interessante a marcação de datas, pois os termos curto, médio e longo prazo muitas vezes acabam se tornando muito vagos, dificultando o alcance dos objetivos.

A descrição na contracapa nos instiga a refletir um pouco mais sobre o sentido da vida e o motivo de fazermos o que fazermos – trabalhar, estudar, etc.
 

Max Lucado
(para ampliar, clique nas fotos)

O livro proporciona uma leitura agradável, tranquila, leve e de fácil entendimento. Apresenta questões relevantes, mas não de forma mais substancial ou profunda. São reflexões para momentos de dúvidas ou dificuldades, que podem proporcionar algum alento, alguma “luz” no sentido de clarear um pouco a mente.

Posteriormente farei comentários sobre algumas reflexões que achei interessantes. Apesar de ser um livro predominantemente religioso, muitos textos são úteis para várias áreas da vida, independentemente de qualquer afinidade ou interesse por espiritualidade ou religiosidade.

Em minha opinião, o livro cumpre o objetivo proposto – apesar de não ser o tipo de leitura que me agrade tanto, pois prefiro livros com conteúdo mais profundo e desafiador.

Até a próxima!


terça-feira, 20 de junho de 2017

Shopping Center


Shopping Center
Nunca gostei de shoppings centers. Como o próprio nome diz, sempre os vi em primeiro lugar como locais de consumo, muitas vezes impulsivos ou compulsivos.

Locais onde o layout, a iluminação, a temperatura, os sons e os perfumes são minuciosamente planejados de forma a proporcionar sensações de bem-estar e tranquilidade, que por sua vez geram um tipo meio difuso, confuso e irreal de confiança e otimismo que induzem muitos ao consumo.

Nunca entendi muito bem o motivo das pessoas gostarem tanto de shoppings centers, ainda mais em pleno século XXI, no qual grande parte das compras são feitas online. Mesmo neste cenário, a quantidade de empreendimentos desse tipo continua a crescer no Brasil.

Porque as outras opções de atividades e passeios aos finais de semana não conseguem atrair muitos dos frequentadores dos shoppings centers? Encontrei uma resposta bem coerente e adequada na crônica Lugar de Passear, de Ivan Ângelo.

Inicialmente ele cita que há aproximadamente 50 anos eram comuns passeios em ruas de compras, galerias e grandes magazines como Mappin e Mesbla. Mas hoje, quem consideraria seguro e um bom programa familiar, passeios por ruas como a 25 de março em São Paulo? Quem em sã consciência levaria seus entes queridos para passear nesses locais, que geralmente são sujos, esburacados, pichados, com construções mal-acabadas, flanelinhas por todos os lados, poluição de todos os tipos, trombadinhas, falta de cidadania e falta de segurança?

Em geral, o shopping center é um ambiente familiar, organizado e seguro que proporciona ao menos momentaneamente a liberdade e a dignidade perdidas de poder sentar-se em um banco para conversar ou tomar um sorvete tranquilamente, de poder caminhar de forma descontraída sem desconfiar do rapaz que vem em sua direção. Nesse ponto faço uma ressalva, pois até os shoppings centers foram atingidos pela violência que assola o país. Precisamos ter cautela em todos os locais que frequentamos, pois não há lugar 100% seguro. Além disso, segundo os especialistas em segurança, pessoas distraídas são alvo fácil. Veja aqui. Mesmo assim, felizmente a incidência de ocorrências desse tipo no interior dos shoppings centers é menor.

Os passeios nesses locais tornaram-se comuns, mas não deveriam ser encarados com tanta normalidade (veja aqui a diferença entre comum e normal), ainda mais se levarmos em conta o clima e as opções de entretenimento naturais e urbanas das cidades brasileiras de médio e grande porte.

É triste ver o nível de degradação e dos problemas cada vez mais crônicos das cidades. Parece até que dentro dos shoppings centers estamos em outro país, no qual cidadania, dignidade, segurança, liberdade, educação e limites não são meras palavras de dicionário úteis apenas para enfeitar discursos em períodos eleitorais nesse país.


Créditos da imagem: cp2studio - Free Digital Photos