Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2018

Juventude antecipada, juventude prolongada

Imagem
Vivemos em uma época muito estranha.
Acredito que essa frase tenha feito você pensar em vários temas e problemas atuais, mas o foco desse post é basicamente a vestimenta atual.

Há poucas décadas, criança se vestia como criança e tinha hábitos de criança enquanto adulto se vestia como adulto e tinha hábitos de adulto.


Mas o que vemos hoje?
Meninas de 4, 6 anos vestindo roupas coladas no corpo, evidenciando perninhas bem desenhadas, mas evidenciando também outras partes do corpo que mulheres adultas de 50 ou 60 anos atrás sequer ousavam destacar.

Vivemos em uma época de erotização precoce e muito perigosa das meninas (ainda mais com a internet e a pedofilia). Se nas décadas anteriores, de vez em quando brincávamos de nos vestir como nossas mães, com direito a batom e unhas pintadas, hoje isso não é mais brincadeira, pois tornou-se algo rotineiro, como se fosse normal.

Você já deve ter visto pelo menos uma vez, mãe e filha (de até uns 10 anos) usando praticamente a mesma roupa: blusa muito jus…

Para pensar #40

É preciso que nos renovemos diariamente. 
Os hábitos e as ideias velhas tornam-se doenças.
Paulo Bomfim




Ano perdido?

Imagem
Até meados de janeiro ouvi duas frases que me levaram à várias reflexões.

Frase 1:"2018 é um ano praticamente perdido. Em 2019 sim, podem ocorrer mudanças."
Frase 2:"Já estamos na metade de janeiro. Esse ano vai passar muito rápido, pois tem copa do mundo e eleição."

Ou seja, 2018 será um ano perdido e como se isso não bastasse, também vai passar rápido. Será mesmo?

Fico tentando imaginar o que pensa e no que acredita quem verbaliza tais frases.



A lista
Contando a partir de hoje, são exatamente 314 dias, nos quais há infinitas possibilidades, considerando-se os valores, aptidões, interesses e classe social de cada um. Farei uma breve lista e acredito que você se identificará com ao menos 1 ou 2 itens.

1) Ter uma alimentação mais saudável.
2) Ter mais tempo para o convívio com a família e com os amigos.
3) Doar ou vender objetos que não fazem mais sentido para você e que estão ocupando espaço e também o seu tempo (devido a periódica limpeza e organização de tais objetos).
4) …

Para pensar #39

Imagem

There’s no touch screen!

Imagem
Imagine crianças de até 13 anos entrando em contato pela primeira vez com o primeiro IPod, lançado em 2001.

Pelo semblante de todos, o objeto em questão parecia até coisa de outro mundo – o que para eles, não deixa de ser verdade.

Surpresos, não sabiam o que fazer, como ligar, como fazer o IPod funcionar. Procuravam por funções inexistentes, como fotos e vídeos. Vários apertaram a tela, que obviamente não respondia aos comandos. Então, tentavam outras maneiras, sem obter sucesso.

Para mim, o destaque foram as meninas, que tentaram, tentaram, mas como a tela não funcionou mesmo, exclamaram admiradas: There’s no touch screen!

A tecnologia deu um salto tão grande, principalmente nas últimas duas décadas, que o analógico ainda tão comum para muitos de nós, é algo até surreal para as novas gerações, principalmente em países desenvolvidos.



Até a próxima!

Para pensar #38

O viver separado de Deus é a base do pecado; as más ações que muitas vezes denominamos pecado são somente o resultado de nossa condição pecaminosa.

Às vezes vemos as coisas ao contrário: pensamos que fazer coisas erradas é o que nos separa de Deus. Mas a verdade é que a separação de Deus é que nos leva a fazer coisas erradas.
Morris Venden



Eu mereço?

Imagem
Recentemente vi uma propaganda com ofertas de bolachas e chocolates. O título, que estava na frente de uma grande bolacha recheada, era: eu mereço.




É difícil encontrar alguém (de todas as idades) que não goste de chocolates ou de nenhum tipo de bolacha. Por isso, acredito que essa afirmação produza no leitor a ânsia por justificativas mentais que expliquem o motivo da compra - que obviamente não será por necessidade, mas por desejo.

O problema é que o desejo não é nada racional, muito pelo contrário, é basicamente emocional. Se houvesse uma relação equilibrada entre razão e desejo, será que alguém consumiria tanto açúcar e gordura juntos, como no caso das bolachas recheadas?

No momento de saborear é agradável, mas e quanto às consequências? O que será que uma propaganda como essa está nos dizendo nas entrelinhas? Seria algo como: eu mereço obesidade, hipertensão, diabetes, inflamações (o açúcar branco é altamente inflamatório por si só), etc?

Considerando o fato de termos o paladar tão al…

Para pensar #37

As suas circunstâncias atuais não determinam até onde você pode ir; apenas determinam por onde começar.
Nido Qubein



© 2019 Simplicidade e Harmonia - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total desta obra e permitida a reprodução parcial desde que citada a fonte.