terça-feira, 6 de maio de 2014

A alimentação dos cães de antigamente


Na infância os cães que tive comiam comida feita especialmente para eles.
Os ingredientes básicos eram: arroz, fubá, pés de frangos (sempre sem unhas).
Todos envelheceram naturalmente, sem maiores problemas. Passaram dos 15 anos, mas não houve tanto sofrimento nos últimos dias de vida. O sofrimento mais intenso durava no máximo uma semana, na qual necessitavam de cuidados especiais e maior atenção. Até essa fatídica semana, levavam a vida normal típica de cães idosos.
Em minha casa, esses cães foram os que pegaram a fase de transição da comida caseira para a ração, embora a aceitassem somente como uma guloseima, um complemento, um petisco para quebrar a rotina da comida, mas nunca a aceitaram como prato principal.

Cachorro

O que era mais novo na época pegou um pouco dessa fase de transição, tendo a ração como prato principal.
Ele também foi envelhecendo aos poucos, com pelagem muito brilhante e bonita, mas com sérios problemas no fígado e pâncreas, no qual foi diagnosticado câncer.
Nessa época, veja que ironia, a veterinária receitou comida caseira, uma ração especial para o fígado e vários medicamentos.
Ele foi piorando lentamente durante 1 ano, no qual foi se tornando, também aos poucos, totalmente dependente.

Alguns anos depois, comecei  a pesquisar sobre rações, suas formulações, modo de fabricação etc.
Ainda são poucos os sites e matérias sobre o assunto, principalmente em português, pois trata-se de uma indústria bilionária que sabe muito bem como utilizar o marketing a seu favor.
De qualquer forma, não posso deixar de destacar a praticidade da ração, lembrando que talvez essa seja a sua principal - ou única - vantagem.

O caso do meu cachorro pode ter sido uma triste coincidência, uma predisposição genética ou qualquer outra coisa, mas por via das dúvidas e por tudo o que aprendi, prefiro fazer eu mesma a comida para os meus cães pois acredito ser mais seguro dessa forma.


Escreverei mais sobre esse assunto. Aguardem!




Créditos da imagem: vectorolie - Free Digital Photos

4 comentários:

  1. Que bacana isso, Rosana! Aguardo mais informações sobre o assunto. A minha cadelinha só come ração e vez ou outra dou um pão, algo do tipo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna,

      Fiquei feliz em saber que se interessou por esse tema tão importante! Em breve postarei mais sobre o assunto.
      Por enquanto, indico sites muito bons:
      www.cachorroverde.com.br/‎
      http://www.tudoparavegetarianos.com.br/colunas/sansao-o-cao-natureba/
      http://www.vidacampestre.com.br/2014/02/sansao-o-cao-hiper-natureba.html
      http://www.tudoparavegetarianos.com.br/colunas/karina-deana/caes-ovolactovegetarianos-por-karina-c-deana/

      Pão não é bom dar, devido ao sal, fermentos e trigo, que dependendo da sensibilidade do cachorro, pode dar alergia ou piorar o quadro já existente.
      Bolachas, chocolates, uva passa e sementes de maçã também são péssimos para os cães. Todas essas guloseimas, principalmente se tiver sal ou açúcar não são adequados aos cães. Ironicamente, a ração contém uma grande quantidade de sódio.

      Qualquer dúvida, pode me perguntar. Se eu souber, ficarei feliz em poder ajudar.

      Abraços!

      Excluir
  2. Caramba! Eu nunca achei necessário essa coisa que dar ração para os cães. Eu li um artigo em que os especialistas descobriram (coisa que eu já sabia há muito tempo) que ração DIMINUI a expectativa de vida dos cães. Nunca dei ração para meus cães, sempre alimentei eles com os alimentos citados aqui. Os meus vizinhos viviam dizendo que os meus cães eram os cães mais bonitos e mais fortes da vizinhança que alimentava seus cães com ração. Fica o aviso para as pessoas. Assim como alimentos industrializados fazem mal pra gente (e eles mentem dizendo que é o melhor) a ração industrializada FAZ MAL aos cães!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. John,

      Desculpe a demora em responder. Preciso prestar mais atenção nessa parte do blog, tenho falhado nisso..
      Gostei do seu comentário.
      A ração, além de diminuir a expectativa de vida, ainda causa muitos males, como câncer e diabetes. Além do excesso de sal, que pode causar problemas nos rins também.

      Como exemplo, gostaria de citar uma conhecida que tinha um golden. Ela fazia tudo exatamente como o vet indicava, rações caras. Muitas vezes, acho que acabamos confiando demais... Geneticamente, esse cão tinha predisposição ao câncer e acabou morrendo em decorrência disso. No final da vida, ele começou a comer comida caseira e gostou muito. Uma pena que pode comer esse tipo de comida por tão pouco tempo.

      A indústria alimentícia e farmacêutica animal são enormes e muito lucrativas. Nos EUA há estudos colocando em xeque a vacinação anual (v10, v8), pois parece que ajudam a aumentar as chances de desenvolvimento de câncer.
      Uma dica: se precisar dar algum medicamento ao seu cão, procure a versão humana (se houver na mesma formulação).

      Recentemente meu cachorro precisou de um medicamento à base de condroitinha e glucosamina. Pedi para a vet uma receita para fazer em farmácia de manipulação. Ela tentou me explicar as "vantagens" do que havia para vender na própria clínica, disse que sairia mais barato (mas eu já havia pesquisado e sabia que não era bem assim). No final, falou que iria me dar a receita para manipular, mas só enrolou e nunca me deu. Então comprei o de uso humano, que é mais seguro e igual. E mais em conta.

      Além da ração, esses brinquedos e as vasilhas próprias para cães... eu tenho dúvidas.

      Abraços,


      Excluir