terça-feira, 9 de maio de 2017

É para isso que você trabalha


Há alguns meses vi uma propaganda de um automóvel com a frase-título deste post.

Então pergunto: É?
É para isso mesmo que você trabalha?

Frase simples, comum, muito conhecida.
Frase afirmativa, quase imperativa.
Frase daquelas que tocam emocionalmente as pessoas, incentivando-as ao consumo – uma das principais atribuições do tão poderoso marketing da atualidade.

Fiquei pensando no impacto dessa propaganda (a frase e a imagem) na mente das crianças, que desde muito cedo começam a associar trabalho com consumo. Inicialmente e por motivos óbvios, não o seu próprio trabalho, mas o de seus pais.

Trabalhou? Compre!
Trabalhou? Compre!
Trabalhou mais? Compre mais!
Trabalhou menos? Ah, mesmo assim, vamos consumir como de costume!

Consumir...
Indefinidamente.
Sem muitos critérios ou sem nenhum critério.
Sem reflexões.
O importante é estar atualizado, é trocar o velho pelo novo.


Necessidades e desejos

O consumismo cada vez mais exagerado na época de final de ano nos mostra o legado que cada geração tem deixado: tudo sempre um pouquinho pior, com árvores cada vez maiores e mais enfeitadas, mais presentes, mais invenções – úteis ou inúteis – que o dinheiro pode comprar.
Exagero em compras de um lado, alegria do comércio de outro.

Voltando ao carro, em muitos casos a mente dos adultos parece ser muito semelhante à das crianças nesse sentido, mas com uma diferença: há uma longa lista de justificativas e razões para o consumo.
Eis algumas:
Eu mereço.
Eu trabalho para isso mesmo.
A vida é uma só.
Se eu morrer, vai ficar tudo aí mesmo...
Eu "preciso" desse ___________! (Precisa mesmo?)

Não existe uma campanha – e acho que nunca existiu -  que divulgasse algo como:
Esteja satisfeito com o que você já tem.
Você precisa mesmo comprar esse _______________?
Pense bem antes da compra!
Se o que você possui está funcionando e atende suas necessidades, por que quer comprar um novo?
Se você pensou em comprar algo por impulso, espere mais uma semana e veja o que acontece.

Utopia em um mundo capitalista. Eu sei.
Mas talvez em um futuro não tão distante, os problemas ambientais cada vez mais intensos e óbvios devido à exploração exagerada dos recursos naturais levem algumas empresas a um tipo de abordagem menos imperativa e afirmativa. Os acontecimentos ambientais puxam para esse lado enquanto o mercado puxa para o outro.
Quem prevalecerá?
Só o tempo dirá...

Por isso, afirmações como a do título precisam ser analisadas com muito cuidado e filtradas pela nossa mente, para não cairmos na tentação do consumo por impulso ou pela falsa sensação do “eu mereço”.

Gostaria de encerrar esse post com uma frase da qual gosto muito:


“Rico não é aquele que mais tem e sim aquele que precisa de menos."
Gretz



Até a próxima!



Créditos da imagem: Stuart Miles - Free Digital Photos

4 comentários:

  1. Precisamos de mais pessoas como você para despertar essa sociedade adormecida e ignorante. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nova Era,

      Agradeço por seu comentário tão motivador! :)
      Realmente precisamos de mudanças na sociedade, pois da maneira como está, onde vamos parar?
      Espero que você esteja gostando do meu blog.
      Abraços,

      Excluir
  2. Puxa, um texto simples mas bastante profundo. Parabéns...tenho buscado esse estilo de vida há alguns meses e textos como o seu só corroboram para minha nova visão. Obrigado. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vitor,

      Fico feliz em saber que você gostou do meu texto. :)
      Bom saber que você está mudando seu estilo de vida para algo mais simples, com menos excesso, com mais equilíbrio.
      Tenho vários posts para esse tipo de reflexão aqui no blog, espero que você goste.
      Espero que consiga excelentes e consistentes resultados em sua busca por um novo estilo de vida!

      Abraços,

      Excluir