Lições valiosas que o contraste pode nos ensinar


Distinguir a água quente da fria é fácil. Mas conforme a água vai esquentando ou esfriando perde-se a referência. Só é possível identificar a mudança comparando a água com temperatura alterada com uma que não sofreu nenhuma variação.

Isso ocorre com muitas coisas na vida, sendo que quanto maior for o contraste, maior pode ser o aprendizado se a pessoa estiver atenta e disposta a isso.


O bem e o mal

Parece simples diferenciar bem e mal, mas muitas vezes tal facilidade é apenas ilusória.

Uma pessoa de boa índole procura se afastar do mal, mas nem sempre consegue. No Brasil, infelizmente o famoso e negativo "jeitinho brasileiro" ilustra bem a questão.

Em vários países desenvolvidos, o respeito ao próximo, a civilidade, a educação no trânsito e a segurança pública são fatores comuns, mas que mostram bem o grande contraste entre o que eles entendem como correto ou normal e o que eles veem no Brasil: violência fora de controle, baixa civilidade, corrupção em excesso, falta de educação no trânsito e com o próximo. 

De forma geral os cinco exemplos acima estão presentes na vida da maioria - não que a pessoa pense em agir dessa forma, mas sofre as consequências dos que agem assim, sendo que esses últimos parecem ter a mínima intenção de que a sociedade seja um lugar melhor para viver, muito pelo contrário.

A questão é que a sociedade brasileira está tão acostumada com esses problemas tão graves, que parece ter perdido grande parte da referência, assim como ocorre com a água morna do início do post. Muito do que é considerado normal é somente comum.

A equivocada compreensão de uma normalidade inexistente gera na mente um certo conformismo perverso que prejudica o desenvolvimento da própria pessoa.

Imagine se Warren Buffet, Bill Gates, Benjamin Franklin, Graham Bell, Thomas Edson, Mark Zuckerberg Larry Page e Serge Brin pensassem assim... Se houvessem se conformado com o mundo como o conheceram. Por almejarem algo melhor, não desistiram e modificaram o mundo de tal forma que o contraste entre o antes e o após suas invenções é gigantesco.


Moradia

Veja abaixo as fotos do post  O que o dinheiro compra. E o que ele não compra. 


casa-do-seriado-anos-incriveis


bairro-na-periferia-de-sao-paulo

Não é necessário mais do que meio segundo para se concluir de forma muito clara o que se quer e o que se quer evitar nesse exemplo.

Aqui novamente estão presentes as armadilhas do conformismo e da perda de referência. A pessoa acostuma-se e tenta justificar sua escolha ao mesmo tempo em não está disposta ou interessada em encontrar soluções.

Imagine a segunda imagem com casas pequenas, mas bem projetadas, terminadas, pintadas, com detalhes de bom gosto e em uma rua com calçadas decentes e quem sabe até algumas árvores. Não poderia ser a segunda imagem acima um lugar também bonito?

Veja agora a imagem abaixo:

casas-pequenas-pintadas-e-planejadas


Também são casas pequenas e em um terreno declinado. Mas quanta diferença!

Veja a segunda foto de novo. Percebeu o contraste?


Alimentação

Nessa parte as coisas são mais claras, mas nem por isso, mais fáceis de se tornarem hábitos, muito pelo contrário.

Veja as duas imagens abaixo. 

Tenho quase certeza de que haveria uma verdadeira batalha em sua mente se tivesse que escolher apenas um.

salada-de-frutas

bolo-de-chocolate

Seu lado racional sabe qual é a melhor opção para a manutenção da saúde, mas seu lado emocional escolherá a explosão de sabores e o bem-estar proporcionado pela liberação do hormônio dopamina.

De vem em quando não há tanto problema, mas quando produtos industrializados ricos em gordura, açúcar e/ou sal fazem parte da rotina em grande quantidade, os problemas começam a aparecer vagarosamente e a avolumar-se.

Mesmo o contraste sendo claro, é necessário muita força de vontade, interesse, motivação e persistência para mudar tais hábitos.


O contraste na vida

Imagine uma pessoa muito bem sucedida profissionalmente, mas que é muito desorganizada em casa. Ou o contrário.

Ao refletir sobre o assunto contrastando as duas áreas, perceberá uma grande incoerência. É aqui que entra a mudança, pois a consciência da incoerência começará a incomodar e poderá ser o impulso que faltava para que o necessário seja modificado.

No fundo, todos sabem o que está certo e o que há de errado, mas com frequência a voz interior é silenciada, pois na maioria das vezes os avisos ou "puxões de orelha" da consciência não são agradáveis apesar de indispensáveis ao pleno desenvolvimento pessoal.


Para finalizar, um exercício

Procure contrastes em sua vida e no mundo ao seu redor. 

É bem provável que fique surpreso com tantas coisas que ainda não havia notado. 

Algumas vão te incomodar. Outras vão te agradar. E outras vão te surpreender para o bem ou para o mal. E aqui entra a oração da serenidade...

"Deus, dai-me a serenidade para: 
Aceitar as coisas que eu não posso mudar.
Coragem para mudar as coisas que eu posso.
E sabedoria para que eu saiba a diferença entre as duas."

Quanto tempo e energia são perdidos tentando mudar o que está fora do alcance! No final das contas e no mundo real, não é somente o que quero. É o que quero e o que posso mudar.


Crédito das imagens:
Imagem 1: The Wacky Tacky Blogspot
Demais imagens: Pixabay

Comentários

  1. Interessante parar para pensar nesses contrastes que realmente existem em nossas vidas e que sempre tão pero de nós estão! Lindo post! beijos, ótimo dia! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica,

      Bom saber que gostou do meu post. Muitas vezes nem percebemos mais os contrastes, de tão acostumados que estamos com eles.

      Boa semana!

      Excluir

Postar um comentário


© 2019 Simplicidade e Harmonia - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total desta obra e permitida a reprodução parcial desde que citada a fonte.